Depoimento: Luciana

16:03 3 Comments A+ a-

Bom, meu nome é Luciana B., tenho 30 anos e sou casada a 2 anos. Hoje estou em casa com meu marido, estou afastada do trabalho por 1 semana, após ter tido um final de semana que parecia não ter fim. Dia 15/12/10 descobri através do exame de farmacia que estava gravida e dia 16/12/10 confirmei atraves do Beta HCG e desta data adiante minha vida tomou um rumo diferente.

Minha ultima menstruação tinha sido dia 10/11/10. Dia 10/01/11 fiz o primeiro ultrasson, o qual deveria confirmar 8-9 semanas de gestação, mas para me deixar desiquilibrada a medica disse que aparentemente eu estava de 5 semanas, só conseguia ver o saco gestacional ou poderia ser uma gestação que não evoluiu.

No mesmo dia procurei meu obstetra para ouvir oque ele tinha a dizer. Ele disse que podería ter causado um atraso na ovulação e por isso o erro na contagem das semanas, que eu deveria aguardar um pouco mais e realizar outro ultrasson a partir de 28/01. Deixei tudo agendado (ultrasson e retorno com o obstetra).

Dia 16/01, comecei a ter um corrimento parecendo borra de café, fui ao hospital, fizeram ultrasson e pediram para aguardar e repetir depois de 10 dias, caso aumentasse o sangramento retornasse. Mas dia 20/01 a noite veio sangue "vivo" dai voltei ao médico, o qual pediu para aguardar um pouco mais, pois não estava com dor e eu deveria acompanhar caso o fluxo aumentasse. Pediu para fazer repouso na sexta dia 21/01, nem fui ao trabalho, mas neste dia por volta das 14h o fluxo sanguineo se intensificou e fui correndo com minha irmã para o hospital, lá os médicos repetiram o ultrasson e constataram que era um início de aborto de uma gestação não embrionária.

Foi um choque, não queria acreditar, não conseguia nem entender o que eles me falavam, neste momento eu estava com minha irmã e meu marido que saiu do trabalho e foi direto ao hospital. Saímos de lá meio desorientado, então decidimos pegar um segunda opinião em um outro hospital, cujos médicos me explicaram a mesma coisa, eu estava abortando, podería deixar meu corpo expelir sozinho ou então ficaria internada para uma curetagem cirurgica, neste momento minhas dores "contrações" estavam muito forte e sangrando muito.

Foi muito dificil para mim, mas aceitei me internar para fazer os procedimentos sugeridos pelos médicos. Minha internação foi dia 22/01, às 02:40 da manhã já estava no quarto iniciando o preparo para curetagem, fiquei lá até ontem dia 23/01 quando enfim fui para o centro cirurgico e a curetagem foi feita, nunca tinha estado internada, para mim parecia tudo um pesadelo, mas ao mesmo tempo eu implorava a Deus para olhar para mim e me tirar de lá firme e forte. Tomei anestesia geral e tive alta depois de 5 horas do procedimento realizado.

Enfim, voltei para minha casa, minha família, mas confesso, que estou meio anestesiada ainda com tudo que aconteceu, choro muitas vezes, me sinto vazia. Meu marido ficou muito do meu lado durante esse periodo, mas mesmo assim, me sinto as vezes sozinha, uma sensação de medo, não sei explicar. Trabalhamos na mesma empresa, mas hoje ele tirou o dia para ficar comigo, pois durante essa semana tenho que ficar em repouso.

Em um dos momentos de tristeza, resolvi buscar ajuda na internet e depois que li alguns relatos neste blog, me senti melhor.... Agora vou procurar meu médico na próxima semana, pois já tinha essa consulta marcada com ele e vou ver o que ele tem a me dizer (explicar), quero levar minha vida adiante, estou agradecendo a Deus por tudo ter sido resolvido da melhor forma, pois acredito que se essa gestação não foi para a frente é porque não era o momento e sei que meu momento vai chegar.

Agradeço muito a minha família, meu marido, pai, mãe, irmãos pelo apoio e carinho recebido durante esse momento dificil e tenho muita fé que em breve devolverei a eles aquela alegria que vi nos olhos de todos quando dei a notícia de que estava grávida. A minha pequena ajuda neste momento é minha sobrinha/ afilhada de 1 ano e 6 meses que consegue me distrair e me fazer sorrir, em todos os momentos que stive no hospital procurei colocá-la em meu pensamento e sem dúvida ela mesmo de longe me deu muita força. Amo minha família e sei que isso tudo vai passar.

Luciana enviou seu depoimento por email no dia 24 de janeiro de 2011.

3 comentários

Write comentários
12/2/11 21:14 delete

Oi Luciana, saiba que não está sozinha...e nada acontece nessa vida por acaso. Logo tudo se resolverá. Um abraço,

Reply
avatar
Anônimo
AUTHOR
31/1/12 00:33 delete

Como é possível amar um filho que nem existe ainda? E sofrer deste jeito por perdê-lo?
Na última quarta-feira (25/01) enfrentei o pior pesadelo da minha vida. E olha que já perdi as pessoas mais importantes da minha vida, meu pai e minha mãe.
Tenho 35 anos e finalmente meu marido e eu, decidimos que era a hora de ter nosso primeiro bebê. Engravidei rápido! No primeiro mês ja aconteceu! No dia 22 de dezembro tinha certeza que estava grávida apesar de ainda não ter feito nenhum teste. Esperamos passar o Natal e no dia 26 de dezembro fiz o exame de sangue. Deu POSITIVO! Eu nao cabia em mim de felicidade. No dia seguinte procurei um obstetra pra iniciar o pré Natal. Fiz a ultrassom no dia 05/01 e a médica não conseguiu visualizar nada, nem o saco gestacional. Foram minhas primeiras lágrimas naquela tarde de janeiro! Havia duas possibilidades: a gravidez ainda estava muito no inicio e não era possivel vizualizar ainda ou eu nao estava gravida. Saí arrasada, minha sogra tentava me animar dizendo que ainda era muito cedo, passei numa farmácia comprei um teste. fiz e deu positivo. Fiquei mais aliviada, chorei muito aquele dia. O que eu ia fazer sem meu bebê? No dia 16 de janeiro fiz outro BHCG e a contagem estava bem maior. No dia 20 fui ao GO de minha inteira confiança e ele ficou preocupado com os resultados dos exames e da ultra. Neste dia meu choro recomeçou eu nao admitia a possibilidade de nao estar grávida!.O médico me pediu uma ultra de urgencia que só consegui marcar pro dia 23 (segunda-feira). Porém quando cheguei em casa da consulta comecei a ter um sangramento como borra de café, liguei imediatamente pro médico que me receitou um remedio e repouso. Na segunda 23/01 fiz a ultrasom e so estava o saco gestacional, era um bom começo né! Fui ao médico e ele disse que aguardar mais umas 2 semanas pra ver o embrião. Bom, minha agonia piorou na quarta feira 25/01 quando o sangramento não parou, pelo contrário, a borra de café virou um “sangue vivo” , corri pro hospital e recebi a noticia que mais temia: havia um aborto em andamento. Fiz uma ultra e la estava o saco todo deformado. O médico de recomentou aguardar que meu corpo elimine todo o material que estava no meu útero. Estou sangrando ainda e com dores. Nunda tinha ouvido falar em gravidez anembrionaria e nunca imaginei que fosse sofrer tanto com esta perda. Meu marido tem me segurado emocionalmente nestes dias, mas sei que não tem sido fácil para ele passar por isso também! Sei que vou engravidar novamente e que teremos nosso bebê perfeito e que nada acontece por acaso na vida da gente.


Luciane

Reply
avatar
24/10/12 19:15 delete

estou passando por isso nesse momento minha fixa ainda não tinha caído, obrigada meninas pos isso ao mesmo tempo me consola.

Reply
avatar